INTERAÇÕES COM A NATUREZA E PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS COMPARTILHADOS, COM ANTÔNIO BISPO

Fundo laranja com efeito sépia, onde se vê homem negro, usa barba e bigode, chapéu e camisa estampada. Texto em fonte de cor branca. No canto superior esquerdo, com letras em destaque lê-se: ANTÔNIO BISPO. Logo abaixo, em letras menores, lê-se: Interações com a natureza e produção de significados compartilhados. No canto inferior direito, leia-se: WEBINÁRIO QUINTA 02/9 - 19h. No rodapé lê-se: Canal Youtube EducativaMuseuNacional.

Educação, Patrimônio, Natureza e Pandemia

Interações com a natureza e produção de significados compartilhados

Com Antônio Bispo

Dia: 2/9, das 19h às 21h

 

De que maneiras a biointeração permite a narração de histórias que orientam a transformação dos modelos de inter-relação com a natureza?

O ativista, pensador e líder quilombola Antônio “Nêgo” Bispo abre os webinários do 2° Ciclo Formativa, nos convocando a pensar comunidades autossustentáveis e o papel que as formas de interação e manejo da natureza podem desempenhar na reoxigenação do corpo humano, que encontra dificuldades em reaprender a respirar diante da crise pandêmica. A partir da ideia de biointeração, nos incita a compreender o lugar dos elementos naturais nas dinâmicas de produção coletiva de significados e de reprodução da vida, das culturas, identidades e comunidades.

 

Ativista político e militante de grande expressão no movimento social quilombola e nos movimentos de luta pela terra, Nêgo Bispo é atualmente membro da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí (CECOQ/PI) e da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ). Possui ensino fundamental completo e faz parte da primeira geração da família da sua mãe que teve acesso à alfabetização. Tem um grande gosto pela escrita poética, pois desde muito cedo precisou desenvolver sua habilidade de traduzir para a linguagem escrita das cartas os sentimentos as sabedorias e as vivências de seus parentes e vizinhos. Poeta, escritor e intelectual que prefere ser chamado de relator de saberes, é autor de inúmeros artigos e poemas, bem como dos livros Quilombos, modos e significados (2007); e Colonização, Quilombos: modos e significados (2015). Também foi professor e mestre convidado do projeto Encontro de Saberes na Universidade de Brasília.