MONOCULTIVO E INSEGURANÇA ALIMENTAR

Artista: Pedro Motta

Título, ano: Estatuto da divisão territorial, 2012. 

Técnica: Fotografia

Foto: Taís Castro 

Na fotografia de Pedro Motta vemos um largo campo de gramíneas com um cupinzeiro transpassado por tubos brancos de PVC que vão até o chão. Ao fundo vemos morros com algumas árvores.  A paisagem parece uma área de pastagem.

Artista: Pedro Davi

Título, ano: Sufocamento – Série Madeira de Lei. 2012. 

Técnica: Fotografia

Foto: Taís Castro

Na fotografia de Pedro Davi vemos uma árvore, provavelmente nativa do cerrado, cercada por uma monocultura de árvores exóticas que parecem eucalipto.

As imagens deixam pensar a exploração da terra pela monocultura animal e vegetal, no caso, a criação de gado e a produção de madeira. Em ambas, percebemos a resistência da natureza às alterações humanas da paisagem.

Diversos estudos apontam a expansão das fronteiras agrícolas no país, principalmente para produção de soja e milho, usados na alimentação de animais.

Em meio à pandemia da COVID-19, ao mesmo tempo em que vemos o agronegócio bater recordes de exportação, a fome no Brasil aumenta, levando milhões de pessoas à situação de insegurança alimentar.

Educativa pergunta interessada na conversa com os públicos:

Você vê relação entre a monocultura e a fome?

Para participar da ação, basta comentar as postagens dos vídeos nas redes sociais do Programa Educativa, respondendo às questões propostas com a #verdepertoMuN. 

Se preferir, você pode enviar suas respostas para o e-mail educativa@tuia.art.br com o assunto “ver de perto”.