3º Ciclo

COMO ENFRENTAR O FASCISMO A PARTIR DE ESPAÇOS CULTURAIS?

Democracia, cultura e educação Com Sabrina Fernandes Dia: 24/5, das 19h às 20:30 Como as pautas identitárias e o crescimento da extrema-direita impactaram o setor cultural brasileiro? Quais estratégias podem ser utilizadas pelos agentes e espaços culturais para enfrentar o fascismo? Como podemos acolher os trabalhadores da cultura cuja integridade física e mental está exposta ao público fascista? No webinário de abertura do ciclo, “Como enfrentar o fascismo a partir de espaços culturais?”, Sabrina Fernandes traz o conceito antropológico de “cultura”, considerando-a como processo e produto de toda ação humana em sociedade, para discutir o interesse do fascismo na cultura e as possibilidades de enfrentá-lo. Ela argumenta que, quando o poder fascista começa a se instalar na sociedade, ele ataca a cultura de duas formas: tanto no que diz respeito ao cotidiano e aos costumes da sociedade quanto no que se entende como “meio” cultural, isto é, as políticas e atividades culturais. O âmbito cultural é onde o fascismo consegue hibernar nos momentos em que não está instalado no poder, aguardando o momento mais propício para tomar o poder. Sabrina Fernandes é socióloga e pós-doutoranda do Centro Avançado de Estudos Latino-americanos (CALAS) no México, onde pesquisa transições justas e Antropoceno. É conselheira sênior de pesquisa do Instituto Alameda e membro do comitê dirigente da Rede Ecossocialista Global. Fundou o projeto de comunicação política e divulgação científica Tese Onze e é autora de diversos artigos e livros, incluindo Se quiser mudar o mundo: um guia político para quem se importa (2020).